27 de abr de 2011

Que surpresa!!


Bem, há algumas semanas atrás, conversando com minha cunhada que teve bebê há 6 meses ouvi a seguinte afirmação: "Liz, cheguei a conclusão de que quem amamenta perde peso com muita facilidade e no meu caso que não consegui ter uma produção de leite satisfatória, é sofrimento. Faz 6 meses já e eu ainda tenho 6kg para perder....raiva!"

Fiquei super preocupada, isso porque ela engordou apenas 10kg e ainda ta sofrendo com a busca pela perda de peso...e eu, como faço para perder os 19kg que ganhei?

Pois é, muitos, inclusive esta minha cunhada, não acreditam que engordei tanto. E eu dou minha palavra que não fui o tipo de grávida que comia por dois trabalhadores braçais, me enchia de doces e tal...eu culpo o repouso, porque até o 6º mês de gravidez eu só tinha ganho 7kg, mas foi entrar de repouso e ficar na vida de comer e dormir que a balança desceu a ladeira...afff...Certo que sempre fui magricela, que sou alta, então os quilos a mais ficaram bem distribuídos, mas o fato é que são 19kg a mais e eu não os quero comigo.

Lembro que quando tirei minha fotos de grávida eu detestei todas as fotos. Eu dizia: Meu Deus como eu to gorda! e marido dizia Você não ta gorda, ta grávida! Senti falta de ver meus ossinhos. Eu que sempre fui magra estranhei tanta carne a minha volta hihihihihi

Enfim, ontem fui a minha obstetra, fui retirar os pontos da cirurgia e para minha surpresa, em 15 dias perdi 12kg. Sai tão feliz, mas tão feliz que fui logo ligando para minha mãe, fui logo divulgando a notícia...Certo que estou com um corpo bem cequinho, mas não criei expectativas quanto a perda de peso para não ter frustrações. Perdi 12kg, estou amamentando super bem e isso só me faz lembrar do que foi dito pela minha cunhada "Quem amamenta volta rapidinho ao corpo de antes!"

Para as que estão na luta para voltar ao corpitxo, minha força e espero mesmo que o metabolismo de vocês seja acelerado o suficiente para que alcancem sucesso. E para as que conseguiram amamentar, dê em livre demanda, essa é a alma do negócio!

26 de abr de 2011

Noite frustrante!


Lelê andou tendo umas noites meio sombrias, muito choro, pernas encolhidas, rostinho vermelho...ai é de dar dó!

Eu como mãe de primeira viagem fico imaginando milhares de coisas, e lógico, chorei muito. A gente acha logo que está fazendo tudo errado, que somos incapazes de cuidar de um bebê e depois ainda vem a falta de humor...todo mundo acha que ser mãe é só flores, que é maravilhoso olhar o bebê e que tudo ta as mil maravilhas, mas tem um lado tenebroso sim, e ele começa quando o bebê berra e nós não sabemos o que fazer, para onde ir, ligamos para todos e nada funciona =(

Enfim, mainha dizia ser cólicas, a médica diz que não, até porque bebê que só mama não tem cólicas, mas no final das contas eram as benditas sim, e minha linda sofreu com ela, eu e marido também. Era peito pra que te quero e até dormir no colo da mamãe foi permitido, o que estava em voga era ela parar de chorar e o dia clarear.

Mas por via das dúvidas quero expor um comentário acerca do que são as benditas cólicas este me aliviou o coração.

"Agora vou virar uma daquelas pessoas que dá pitaco para mães de primeira viagem e te dar dicas para cólicas do recem nascido (e cuidado para não confundir cólicas de recem nascido com cólica intestinal e gases...cada coisa é uma coisa e cada uma tem uma solução diferente!)Antes de mais nada, entender o que é cada uma, né?

A famosa cólica do Recém Nascido não tem nada a ver com dor de barriga… ninguém sabe muito bem explicar o que é, mas tudo indica que é uma imaturidade do sistema nervoso (daí passar, milagrosamente, por volta do 3o mês…). O que rola, segundo os estudos mais modernos, é que o excesso de informação (e, para alguém que até agora só conhecia o escurinho e o quentinho da barriga TUDO e QUALQUER COISA é excesso de informação!) faria o sistema nervoso entrar em intensa atividade e meio que entrar em curto circuito. O resultado final da coisa é que o bebê tem fortes espasmos musculares, especialmente na região abdominal (justamente o que causa a confusão toda), e NADA parece aliviar. Não adianta entupir o bebê de Luftal e outros remédios, não funciona! A cólica do Recém nascido tem um traço muito peculiar, acontece todo dia (pelo menos 4 vezes por semana), por volta do mesmo horário. Dura algumas horas (normalmente coisa de 2 a 3 horas) SEM PARAR e como que por milagre, PASSA! Aí o bebê vai dormir todo lindinho e maravilhoso e a paz volta a reinar, até o dia seguinte.

Não tem remédio, não tem milagre… mas tem como melhorar a coisa um pouquinho. Como o problema é excesso de informação, o grande lance é diminuir a quantidade de informações apresentadas… Rotina é uma boa forma de fazer essas cólicas virem com mais suavidade (o que não quer dizer que não virão!). Tentar manter o mesmo ritmo das coisas e na mesma ordem, não necessariamente o mesmo horário. Mas quanto mais o bebê puder “prever” o que vem depois, menos ele tem que processar o efeito surpresa e ansiedade… ele já sabe que depois do banho morninho virá um delicioso carinho ou massagem, depois uma roupinha gostosa e um peito maravilhoso… não precisa ficar tentando saber o que vem depois.
E, na hora que a cólica aparecer, o ideal é ir para um lugar escuro, tirar a camisa e a roupinha do baby (se tiver frio, tire a roupinha dele e coloque ele por dentro da tua camisa, o importante é o contato de pele entre mãe/bebê – ah… pode ser pai/bebê também, desde que seja com MUITA tranquilidade e que não seja só quando você já está na irritação). Vá para um quarto escuro, quanto mais escuro melhor (conheço quem já se trancou no closet!rs). Sente-se (ou mesmo fique de pé), mas não se movimente muito, apenas faça um suave movimento de balanço para frente e para trás, ou dê leves passadas pelo quarto. Não fale, apenas faça o som de shhhh bem pertinho do ouvido dele e bem baixinho…. O peito pode até ajudar, mas, ele vai acabar associando a calma com o peito e aí o papai acaba ficando totalmente fora da cena, e aí nem quando você estiver MORTA ele conseguirá te substituir…


Se o problema forem só gases (cólica intestinal), essas cólicas virão nos horários mais variados, inclusive no meio da noite. E o choro passará cada vez que ele soltar um pum. O choro vem em ondas, e, geralmente o bebê se contrairá para a frente (na cólica do recem nascido o mais comum é o bebê arquear a coluna!). E, mais importante, a barriguinha ficará endurecidinha e estufadinha. Luftal ajuda nesse caso, MAS, meu pediatra era contra e eu também fui, acho que o bebê precisa aprender a soltar o pum, senão vai ficar sempre meio que “dependente” do remédio. Sugar no peito, quando a cólica é por gases, ajuda MUITO, o movimento de sucção e deglutição estimula o movimento peristáltico e o pum acaba saindo! Mas, cuidado, não fique dando de hora em hora porque o primeiro leite pode aumentar os gases… se for dar o peito com frequência, na primeira mamada espaçada dê o peito desde o início, mas nos intervalos menores de 3 horas, ordenhe um pouquinho do leite antes de oferecer o peito ( o primeiro leite não precisa ser oferecido em intervalos de menos de 3 horas!)… Massagens também ajudam MUITO. Recomendo o livro “O Toque nos Bebês” que ensina muitas técnicas bem legais.
É isso… aprendi na marra… Alice nunca teve cólica de recem nascido, mas, em compensação era a rainha dos gases, e era péssima de cama (boa notícia para o pai no futuro, péssima para mim naquele momento!).
E, a pausa de filho é FUNDAMENTAL… são aqueles 30 minutos que você deixa na mão de alguém de confiança, pede para tirar de perto de você (porque vamos combinar que não adianta ficar com o bebê, mas perto, porque o som do bebê não deixa nenhuma mãe relaxar, né?), aí aproveita para tomar aquele banho tira craca total, com direito a shampoo e condicionador como gente! Vai ao banheiro com calma (porque, na boa, a coisa que mãe de recem nascido mais faz é ficar segurando até aqueles 20 minutos quando ela finalmente consegue botar o bebê no berço e até ele acordar de novo!), e ninguém fala nisso, porque, afinal, ir ao banheiro, ao que tudo indica, é supérfluo!
Aproveita para deitar na frente da TV ou sentar na frente do computador, ou pegar um BOM livro que não fale de arrotos e mamadas e ninadas!
Em 30 a 40 minutos você se sentirá renovada e pronta para curtir até o chorinho do seu filhote…

Ser mãe não é só flores, mas esquecem de nos contar os detalhes mais sofridos, né? 

18 de abr de 2011

Ser mãe não é para fracos!

Esta afirmativa é extremamente verdadeira. Não há como ser mãe, ou pai, se tem nojo de fazer trocas de fraldas, de se sujar com regurgitações....e também não há como sê-lo se não estamos preparados para as peripécias das crianças.

Eu sabia que ia vivenciar situações que me desafiariam, por isto mesmo que o blog se chama Travessuras de Bebê, pois eu sei que terei muitas circunstâncias para apresentar a vocês.

A primeira travessura de Letícia foi a 3 dias atrás. Marido saiu para resolver alguns negócios, a minha secretária já havia saido e eu finalmente fiquei em casa sozinha com meu baby, ou seja, no meu segundo dia em casa fiquei logo de mãe autosuficiente. É exatamente nesses momentos que nossos amores, fofos, lindos, cheirosos nos surpreendem.

Fui pegar Letícia no berço e constatei de cara que estava lavada de leite, pois é, finalmente o leite desceu, amamentei pq o desespero dela tava grande. Então fomos para a segunda etapa, troca de fralda, e foi ai que minha princesa aprontou, rajada, aquela rajada alcançou minha perna e escorreu até ao chão..........kkkkkkkkkkkkk. Na hora eu não fiquei nervosa, segui o ritual e liguei para marido - Amor, você vai demorar? Preciso que você venha para casa urgente, mas não se preocupe, eu e Letícia estamos bem!.

Ele disse que não ficou nervoso porque viu pela voz que as coisas estavam sobre controle. Quando chegou em casa foi logo perguntando o que tinha acontecido e eu só fiz me virar....ai está a cena....kkkkkkkkkkkk

Ser mãe ou pai não é para fracos!


Ufaaa

Finalmente consegui ânimo para escrever. É que estava me recuperando, e as forças estavam um pouco distante hehehehe.

Pois é gente, depois do ultimo post venho trazer finalmente boas novas...estou apaixonada pela minha linda Letícia. Ela é encantadora mesmo!
Nunca imaginei a alegria que sentiria ao vê-la pela primeira vez, e todos os dias agradeço a Deus pelo milagre da vida de Letícia. 
Estou namorando, por isso demorei tanto para aparecer novamente por aqui. To paquerando com aqueles olhos lindos, dando muito cheiro na sua cabeça repleta de cabelo....ai ai ai ai ai...

Letícia é um amor, mama bem, dorme bem, mais ainda estou me adaptando as noites, que como todos me relatam são bem difíceis no 1º mês. Como diria uma amiga, "Calma, o 1º mês passa!"....to esperando por isso. Enquanto o tempo anda, deixo para vcs uma amostra de tanta gostosura de Lelê.






15 de abr de 2011

Mil palavras!


Pois é gente, eu me proponho a falar sobre o assunto "maternidade" (hospital) pela ultima vez!
Para os amigos será uma surpresa, e para os leitores vale a ressalva. Eu penei na maternidade. Fomos na terça, dia 12 de abril às 5:20 da manhã para ter Letícia e ficamos lá por dois dias pois ela veio por meio de cesariana.

Tive um contratempo, meu utero não contraia após o parto, por tal motivo tive hemorragia. As enfermeiras nada fizeram para me ajudar, muitas nem sequer me examinaram, e só após eu passar muito mal minha mãe ligou para a médica e as providências foram tomadas. Quase precisei de transfusão, mas Deus é maior e eu estou bem.

Ao logo dos dias que passamos no hospital eu só achei muito descaso por conta da equipe de lá. Minha médica, vale apresentar - Dra. Martha Eleonora - foi show de bola, não descuidou em nada e me paparicou de verdade, a pediatra tb foi excelente.

Sofri, mas o que passei só retrata a realidade que vivemos hoje. Se quizermos ser bem tratados não basta apenas pagar o plano de saúde, ou as despesas hospitalares, temos que oferecer um bônus ai sim somos vistos como pessoas dignas de sermos bem tratadas.

Enfim, Deus é maior e eu e minha família superamos tudo. Voltamos para casa na maior alegria da vida, pois estou bem, recuperada e Letícia ta de vento e poupa. Leite não é problema e por isso ela está nele exclusivamente.

Eu teria mil palavras a dizer, reclamações, lágrimas - o que já rolou até demais - mas eu me propus a não mais pensar naqueles dias, ou melhor, pensar apenas que tive Letícia e voltei para casa sem ter que guardar as más lembranças.

Eu estou e sou uma mulher feliz. Tenho uma filha linda a apresentar para todos e o que importa é daqui para frente. To aprendendo toneladas de coisas que não li em canto algum, vivenciando um amor que não tem conceito e o que importa é isso!

Por isto, maternidade é coisa do passado, não quero mais saber de você nem tão cedo.

Hoje é Letícia, Marido e família, em breve terei outro relato e mais de mil palavras.




14 de abr de 2011

Nasceu!


Nasceu nesta terça próxima, dia 12/04/11, às 7 horas da manhã, com 3,200kg, 48,5cm e de 39 semanas e 4 dias. Parto cesariana, super tranquilo e rápido.
Letícia é super cabeluda e tem o cílios da mãe!
Olhos, testa e moldura do rosto do papai, nariz, lábios e queixo da mamãe...nosso amor =D








12 de abr de 2011

Fomos alí, mas já voltamos!





Finalmente chegou o dia de Letícia conhecer este mundo aqui fora. Fomos a maternidade bem cedo, o parto foi marcado para às 6:30h.

Sendo assim, em breve venho contar para vocês como foi este momento para nós. Fiquem na torcida!

Enquanto isso, vou deixar uma amostra de como ficou o quarto da nossa princesa. Bjs o/
















Você poderá também gostar de: